Olá, internauta!

SEJA BEM-VINDO! CURTA O BLOG E DEIXE SEU COMENTÁRIO.

ATORES BACABALENSES GRAVAM FILME

ATORES BACABALENSES GRAVAM FILME
ATORES BACABALENSES GRAVAM FILME "O caminho proibido" é a nova onda que atores bacabalenses estão vivenciando desde fevereiro. O elenco, formado em sua maioria por integrantes do grupo Faces da Arte, de onde surgiu a idéia, conta também com a participação de atores de outros grupos como Cia Curupira e Facetários. Dirigido por Rogê Francê, o filme traz em seu roteiro a trama de um relacionamento mal resolvido entre Kátia (Laiza Hawitt) e Fernando (Costa Filho), que, no trajeto de uma reconquista, vão se deparar com um "caminho proibido". Ali acontecerão cenas de ação, suspense e mistério e morte entre o casal e dois psicopatas interpretados por José Wilker (Cia Curupira) e Pablo Evangelista (Grupo Facetários). "Algumas cenas já foram gravadas. Mas há ainda muita coisa há ser feita, pois um filme, por simples que seja, requer longas horas de trabalho", diz o roteirista e diretor Rogê Francê. Segundo o elenco, os recursos de produção serão um segredo para o público, que certamente vai se encantar com o resultado. Costa Filho, que já protagonizou "A milagreira", filme ainda não concluído, dirigido por Sônia Maria e Joabe Ricardo, se mostra otimista com mais uma experiência na área cinematográfica. "É gratificante participar de mais um filme. Não é nem um Titanic ou trilogia de Harry Potter, mas nas pequenas ações também pode se deixar grandes lições", conclui o ator. Confira neste blog fotos e vídeos do "'making of" desta produção cinematográfico-bacabalense. NA FOTO alguns do elenco: Costa Filho e José Wilker (agachados), Laiza e Rogê (no meio abraçados)

15/07/2019

FILME BACABALENSE “EU CONSIGO? ” ESTREIA E AGRADA AO PÚBLICO

     


              Elenco e produção - Da direita: Costa Filho, Ana Freitas, 
    Ângela Oliveira, Ramiro Feitosa, Franh Rodrigues e Dalva Santos

Estreado na noite de sábado, 13 de julho, no auditório do colégio CEEC, o filme “Eu consigo?” entra para a história do cinema amador bacabalense como uma das produções mais bem produzidas e apreciadas pelo público local. 

De temática social, o filme narra o drama de Lorena (Ângela Oliveira), uma adolescente que deixa o povoado onde mora para estudar na cidade, objetivando passar num disputado concurso público federal. Com esforço, consegue um emprego numa loja e, entre o trabalho, o estudo e o cuidar de si própria, a garota logo se vê obrigada a trazer sua avó Gerusa (Dalva Santos) e seu irmão João Marcos (Ramiro  Feitosa) para junto si. Contudo, Lorena não está só. Além de sua família, conta com apoio de sua melhor amiga Natália (Ana Freitas) para enfrentar os obstáculos de ordem financeira e emocional.
O público esteve absorto e aprovou a produção com aplausos
Quando tudo parece se encaminhar bem, uma crise econômica leva seu patrão Alexandre (Costa Filho) a demiti-la. Tal fato deixa a adolescente abalada e sem norte, e procura esconder o fato de sua avó, que tem problemas de saúde. Mas nessa dura jornada pela sobrevivência e, vivenciando na prática, o papel de arrimo de família, Lorena não esquece de seu objetivo, e vai se tornando uma menina forte, sem, no entanto, esconder de sua avó sua fragilidade diante das tantas dificuldades impostas pelas circunstâncias da vida. Toda essa tensão leva Lorena a se perguntar: “Eu consigo?” Com a ajuda de sua amiga e do próprio patrão, que não a desampara pela sua garra e persistência, Lorena consegue passar no concurso, mas sem o prazer de vivenciar esse momento ao lado de sua querida avó. 
Atenção e emoção marcaram a noite de estreia do "Eu consigo?"

Apesar de fictício, o média-metragem “Eu consigo?”, reflete uma interrogação que perpassa pela lente de vida de muitos dos nossos jovens, que após concluírem o ensino médio precisam ingressar no mercado de trabalho imediato para se prepararem numa profissão que futuramente venha custear suas despesas, ajudar os pais ou ingressar num curso superior, visando a uma vida melhor.
Essa verossimilhança com a vida real levou alguns fãs e espectadores a se emocionarem, quando não chorarem, em função do drama vivido pela neta e sua avó. 
Os ingressos foram adquiridos por antecipação e o público da sessão se mostrou bem absorto e, no “escurinho do cinema”, regado à pipoca caseira, a emoção ficcional se deixou virar realidade. “Eu chorei rios”, disse Jordana, fã da protagonista.
Apesar de bem procurado, o DVD do filme não foi colocado à venda pela produção, que vai viabilizar meios para o público assistir o mais novo trabalho do cinema local. Outra ação a ser considerada é a realização de outras sessões para que mais pessoas possam ser oportunizadas a ver o filme no telão.     
Banner de divulgação em redes sociais
Fruto de um roteiro enxuto e realista, de 2016, as primeiras gravações de “Eu consigo?” se deram no início de 2017. Concluídas as cenas e tendo sua roteirista e diretora Zadhe Bergant que viajar ao Rio de Janeiro, o projeto adormeceu algum tempo na fase de edição, até ressurgir em formato Full HD, portanto, mais atualizado e desde o início, sob a responsabilidade de Franh Rodrigues, que também dirigiu as filmagens. Zadhe Bergant comemorou com os amigos a alegria da estreia: “Não precisou de um grande texto, um elenco mundialmente famoso e um filme milionário para emocionar de verdade o público, só gente que planeja, trabalha e gosta do que faz”, disse ela via WhatsApp. Por seu turno, Dalva Santos relembra: “É o que sempre digo: não é o texto, produção, elenco e direção, são todos, todos juntos e envolvidos que formam uma obra bonita”.
Zadhe Bergant: roteirista e diretora

 

O elenco é composto em sua íntegra por seis atores residentes na cidade e traz como protagonista Ângela Oliveira, que estreia em seu primeiro trabalho cinematográfico. Dalva Santos volta às telas amadoras após 13 anos de sua primeira aparição no curta-metragem “Positivo”, de Diógenes Estrela (2006) e com participação em “Ninjas Urbanos 2” (2018), de Mathias Filho. Já o ator e coprodutor Costa Filho é figura bem conhecida no cinema amador local e chega com mais uma múltipla participação no seu currículo artístico cinematográfico ao lado de Ana Freitas e Ramiro Feitosa, com quem atuou no curta-metragem “Tô fora!”, de Cristina B., vencedor do 3º lugar no Festival de Cinema de Bacabal, em 2015. Fechando o elenco, Samuel Silva surge com uma breve participação, tendo já o mesmo, cenas gravadas no projeto “O último manuscrito”, de Franh Rodrigues (2016), filme a ser regravado. À frente da produção geral do projeto “Eu consigo?” está a FR Produções Filmes e na coprodução o GAFA Produções, produtoras que já somam diversos filmes amadores na cidade.
“Eu consigo?” é o segundo trabalho cinematográfico estreado da roteirista Zadhe Bergant, que já consta muitos roteiros em sua trajetória no cinema amador. Para ela: “Valeu a pena! Noite e dias em cima do computador editando, horas de correção textual, gasolina gasta sem retorno, sacrifícios nos estudos, correria, discussões, discordâncias e luta conjunta. Um trabalho independente e sem apelações. Assim que se faz um filme”, arrematou.

ELENCO TEATRAL

ELENCO TEATRAL
Homenagem ao amigo Malaka no DF

Amigos da ASDEBAL (Ao amigo Malaka no DF)

Amigos da ASDEBAL (Ao amigo Malaka no DF)

Uma cena que ensina em "Viver é adaptar-se" peça de Casanova e Lúcia Correia

Uma cena que ensina em "Viver é  adaptar-se" peça de Casanova e Lúcia Correia